Biografia

Susana Balán é formada em Psicologia pela Universidade Nacional de Buenos Aires, em 1963. A profissão estava apenas começando, por isso, teve o privilégio de receber um treinamento único com professores de diferentes áreas acadêmicas e que, entusiasmados com a tarefa de criar um novo caminho para o conhecimento do homem e de sua psique, eles estimularam e desafiaram seus alunos com a paixão e a bravura dos criadores do mundo.

Mais tarde, depois de trabalhar no Departamento de Orientação Vocacional, também da Universidade Nacional de Buenos Aires, sob a tutela de Nicolás Tavella, ingressou no Instituto Argentino de Estudos Sociais, fundado e dirigido pelo Dr. Enrique Pichon Rivière. Com ele, aprendeu, entre muitas outras coisas, a técnica de entrevista para pesquisa em Opinião Pública, que usou muito em sua longa carreira, tanto no trabalho clínico quanto nas investigações sob diferentes temáticas e subsequente desenvolvimento de suas observações.

Susana diz: "Minha maneira de entender o ser humano, minha maneira de trabalhar a psicologia, é dele".

Em 1964, entrou no Hospital de Niños “Dr. Ricardo Gutiérrez ”, da cidade de Buenos Aires, onde fez um curso de pós-graduação coordenado pelo Dr. Diego García Reinoso. No mesmo ano, ingressou na sala 17, dirigida pelo Dr. Florencio Escardó, que introduziu a experiência pioneira na área da pediatria: nesta sala, as mães podiam ficar com os filhos durante toda a hospitalização. O Dr. Carlos Giannantonio, paralelamente, inicia uma experiência única no Hospital Infantil: cria a residência médica. Susana faz parte da equipe de psicologia encarregada de coordenar os grupos de médicos residentes que, entre outras atividades, preparam um novo formulário de diagnóstico, incluindo os sinais de alarme que coletavam das mães, da consulta com outros médicos, das enfermeiras e da própria criança.

Nos difíceis anos 70, Susana emigrou para o Brasil, fazendo do Rio de Janeiro não apenas seu novo local de residência, mas também um novo ponto de vista para o mundo. “Sou muito grata pela língua portuguesa e pelo Brasil. O português torna possível expressar emoções com imagens, mais fáceis de entender do que através de conceitos abstratos ”.

Lá, ela também continuou seu desenvolvimento teórico com a escrita de seu primeiro livro / teoria: "Três estilos de mulher".

Seu caminho, assim como suas idéias, continuava em movimento. Primeiro, o retorno a Buenos Aires, onde continua o trabalho de pesquisa e a materialização de suas teorias. Lá ela escreve "La utopia amorosa". 

E então sua mudança para Nova York, onde se estabeleceu em 1998 e continua com o trabalho tanto no campo da psicologia clínica quanto no desenvolvimento de suas idéias, publica "Dos para el tango", também chamado "El abrazo preciso" e "Diferentes formas de amar" em português. 

A pesquisa de Susana continua e ela a encontra no Canadá. De lá, ela vê “Caminos: más allá de los mapas del amor y del poder”.

E é o fruto dessa longa jornada que nos encontra hoje com o lançamento de seu último livro: "Link E as Estrelas Cadentes" ilustra, por meio da aventura, sua idéia ao mesmo tempo simples e profunda de como é difícil para algumas pessoas fazer parte de um mundo do qual não se sente parte, mas para o qual tem muito a contribuir. 

Todos os caminhos de Susana, seus estudos formais, seus estudos informais, suas investigações, seu horário de expediente, sua própria vida e seu olhar sempre atento, se unem em uma teoria ao serviço de muitos que precisam integrar o que são com o que o mundo pede que eles sejam. Seres que querem fazer parte de tudo, sem deixar nenhuma parte fora. Seres que precisam se sentir integrados.

pt_BRPT
es_ESES en_USEN pt_BRPT